Comunicado devido a atuação do Conselho Geral

Logo Associação Académica da Universidade dos Açores
A Associação Académica da Universidade dos Açores após ter efetuado várias diligências, junto do Conselho Geral, designado neste comunicado por CG, e da Reitoria da Universidade dos Açores, para completar o número de representantes estatutário dos estudantes, obteve uma resposta enviesada. A eleição dos 2 estudantes para o CG, órgão de governo da Universidade dos Açores, tem a particularidade de representar 85 % comunidade académica. Os dois conselheiros do CG com mais legitimidade representativa. Assim entendemos que o boicote à representação dos estudantes no CG traduziu-se na desvalorização da lealdade e respeito mútuo institucionais. Considerando que:
  • O CG não considerou as eleições antecipadas para eleição dos representantes dos estudantes;
  • O CG da Universidade dos Açores ao consentir a subtração de 1 conselheiro representante dos estudantes não traduz os cerca de 2800 estudantes;
Revelou-se ineficácia e insensibilidade para a superação de um problema cuja resolução é da sua competência e estava no tempo ao seu alcance. Considerando ainda que:
  • O CG está ferido de falta do princípio da democraticidade;
  • O CG está ferido de falta do princípio da proporcionalidade;
  • O CG está ferido de falta do princípio da participação;
  • O CG está ferido do princípio da igualdade;
  • O CG não procede com equidade;
  • O CG não decide com neutralidade sobre os interesses que aprecia.
A Associação Académica da Universidade dos Açores, entende que a eleição do Reitor da Universidade dos Açores forjada, não cumpre no essencial a prossecução do interesse e da proteção da confiança dos estudantes. A eleição do Reitor será feita por um colégio incompleto e de independência por esclarecer, com falsa conceção do valor dos estudantes da Universidades dos Açores, pelo que o candidato eleito apenas representará o entendimento administrativo de um corpo sectorial. Não nos revemos na candidatura parcial, não nos revemos numa reitoria que não tem como principal objetivo a qualidade implícita na condição de estudante do ensino superior, nos Açores.